Curta!

Battle Angel Alita: Anjo Enferrujado (Gunnm #1) | Yukito Kishiro


Título: Battle Angel Alita: Anjo Enferrujado
Coleção: Gunnm Hyper Future Vision
Volume: 1
Autor: Yukito Kishiro
Editora: JBC
Páginas: 448
Ano: 2017
Gênero: aventura / distopia / drama / ficção científica
Nota:
 ⭐⭐⭐⭐⭐


Meu primeiro contato com a história de Alita foi através do filme homônimo ao livro, lançado no Brasil em fevereiro de 2019, do qual gostei muito e que despertou em mim uma vontade de conhecer mais a fundo a história da personagem.
Pouco mais de um ano após assistir o filme, me rendi ao desejo de ler a história escrita por Yukito Kishiro e adquiri os quatro mangás que compõem a série.

Em Battle Angel Alita, Vol. 1, a história começa a se desenrolar a partir do momento em que o engenheiro Daisuke Ido resgata e concerta Alita, uma ciborgue. Mas Alita perdeu a memória e o solitário Ido é tudo o que ela conhece, e assim eles passam a ser uma família.

Em busca de viver sua nova vida na Cidade da Sucata, mas também de recuperar suas memórias e descobrir sua verdadeira identidade, Alita conhece diversas pessoas, se envolve em muitas aventuras e até mesmo se apaixona. A partir de então, a ciborgue vai aos poucos descobrindo o mundo em que vive, e percebe que a resposta para o mistério a respeito de seu passado que tanto busca desvendar pode estar na cidade flutuante: Zalem.

Battle Angel Alita: Anjo Enferrujado me surpreendeu com um enredo um pouco diferente do que eu conhecia a partir do filme... mas foram diferenças agradáveis. A história criada pelo mangaká japonês Yukito Kishiro é dotada de originalidade, repleta de detalhes que a tornam única. O bom planejamento da história é visível.

Ao longo deste primeiro volume da série, diversas interrogações vão surgindo... sobre a Cidade da Sucata (onde Alita vive) e Zalem (a cidade no céu), além de tantas outras a respeito de Alita e dos personagens que fazem parte da história (já que cada um deles parece esconder segredos e mistérios). E, é claro, todas essas dúvidas aguçam a curiosidade do leitor e o envolvem na leitura, gerando o desejo de ler mais a fim de descobrir suas respostas.
"Não tenho lembranças do meu passado... Por isso, não sei que tipo de pessoa eu era. Ainda não sei direito qual é o significado de estar viva. Se é algo bom ou ruim... Se devo me orgulhar ou me envergonhar disso... Não faço ideia ainda. Mas um dia quero descobrir tudo isso! Eu me tornei uma guerreira caçadora para encontrar o meu verdadeiro eu enquanto luto! Não tenho nenhum interesse em porcaria de recompensa!!"
O único ponto em que, ao meu ver, a história deixou a desejar, foi na construção inicial das relações entre alguns dos personagens (especialmente entre Alita e Ido e Alita e Yugo). A sensação que tive foi que sentimentos que geralmente são construídos com o tempo (como o amor paterno ou o amor romântico) surgiram rápido demais. No entanto, esse detalhe não me impediu de gostar da história.

Toda a arte do mangá também é bem bonita, apesar de algumas cenas poderem ser confusas - especialmente para quem não está habituado a esse tipo de leitura. As cenas de ação são as que tem minhas ilustrações favoritas.

Essa foi a minha primeira experiência com mangás e confesso que eu não sabia bem o que esperar. Já imaginava gostar da história de Alita, é claro, porque já a conhecia, mas não tinha certeza se gostaria de ler um mangá. Felizmente, foi uma experiência que fez com que eu me apaixonasse por esse tipo de leitura logo de cara, mesmo que inicialmente eu tenha achado muito estranha a paginação da direita para a esquerda (risos).

Apesar das mais de 400 rápidas, Battle Angel Alita é uma leitura rápida. Uma ótima opção para quem, como eu, deseja se aventurar pelas páginas de um mangá. Não vejo a hora de continuar com os outros livros da série.

Você pode encontrar esse e outros livros da série na loja online Amazon caso queira adquiri-los.

Nenhum comentário:

Postar um comentário