Curta!

Eu Sou o Número Quatro | Pittacus Lore

3 de janeiro de 2020

"Eu não teria perdido nem um único minuto de tudo isso, garoto. Nem por Lorien. Nem pelo mundo todo."
Se você, assim como eu, costumava assistir à Sessão da Tarde na infância, o título "Eu Sou o Número Quatro" talvez te soe familiar. Um filme de mesmo nome, inspirado nesse livro, foi estreado em 2011, e era (na verdade, ainda é) constantemente exibido pela Rede Globo.

SOBRE O LIVRO
Eu sou o Número Quatro é o primeiro volume da série Os Legados de Lorien, de Pittacus Lore — o ancião de Lorien a quem foi confiada a história dos Nove."Nove de nós vieram para cá. Somos parecidos com vocês. Falamos como vocês. Vivemos entre vocês. Mas não somos vocês. Temos poderes com os quais vocês só podem sonhar. Somos mais fortes e mais rápidos que qualquer coisa que já viram. Somos os super-heróis que vocês idolatram nos filmes — mas somos reais. Nosso plano era crescer, treinar, nos tornar mais poderosos e nos unir, para então enfrentá-los. Porém, eles nos encontraram antes. E começaram a nos caçar. Agora, estamos fugindo. O Número Um foi capturado na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Eu sou o Número Quatro. Eu sou o próximo."

MINHA OPINIÃO

Falar sobre Eu Sou o Número Quatro me deixa muito nostálgica. Me lembro perfeitamente das inúmeras tardes em frente à TV assistindo, uma e outra vez, ao filme que carrega o mesmo título do livro em questão. É claro que hoje, após ler o livro, eu já não vejo Eu Sou o Número Quatro como um filme tão bom, mas na época era um dos meus favoritos. Era sobre esse filme que eu estava falando quando uma amiga mencionou a existência da série de livros Os Legados de Lorien. Eu - que passei toda a adolescência esperando pelo lançamento de uma continuação do filme, que nunca aconteceu - fiquei super empolgada e logo que cheguei em casa fui dar uma olhada nas lojas online para procurar pelos sete livros que compõem a série.

Eu Sou o Número Quatro foi publicado no Brasil em março de 2011 pela Editora Intrínseca. É um romance de ficção científica, narrado em primeira pessoa por Número Quatro (também conhecido como John Smith).
O livro foi publicado tendo como autor Pittacus Lore, ancião do planeta Lorien, que vive escondido na Terra. Toda a história dos lorienos é tratada como real em cada página desse livro, e isso dá um gostinho especial à história.
"— Esperança? – ele diz. – Sempre há esperança, John. Novos acontecimentos ainda são aguardados. Nem toda informação já foi divulgada. Não. Não perca a esperança, ainda. Ela é a última coisa que se vai. Quando você a perde, já perdeu tudo."
Lorien é um planeta localizado em algum outro sistema solar de nossa imensa galáxia, que foi atacado pelos mogadorianos (povo do planeta Mogadore) que queriam seus recursos naturais. Antes que tudo fosse destruído, os lorienos conseguiram dezoito pessoas, colocando-os juntos em uma nave.
Entre os tripulantes da nave estavam nove eram crianças que possuíam diferentes tipo de poderes especiais. As pessoas que possuíam poderes eram conhecidas em Lorien como Gardes. O outros nove lorienos que tripulavam a nave eram adultos normais, bem parecidos com os humanos, conhecidos como Cêpans, que tinham como missão cuidar dos nove Gardes, protege-los e instrui-los durante suas vidas.
Os dezoito lorienos que puderam ser salvos foram enviados para a Terra e, desde então, vivem escondidos, ganhando tempo para que as crianças possam crescer e desenvolver seus legados (poderes especiais como super-força, velocidade, resistência ao fogo...), até que estejam prontos para lutar por sua sobrevivência e por Lorien.

Infelizmente nem todas as coisas acontecem da forma que são planejadas e, após descobrir sobre a existência de sobreviventes do povo de Lorien na Terra, os Mogadorianos enviam seus homens para caça-los. Por causa disso os lorienos que restaram precisam passar suas vidas separados, com medo, se escondendo, tentando sobreviver.

John é a quarta criança, o Número Quatro, e vive com seu Cêpan Henri. Henri é um homem bom, totalmente dedicado à seus deveres com John, e após tantos anos convivendo com o garoto é como um pai para ele. Juntos eles fazem o que foram orientados a fazer: mudam-se de cidade em cidade, trocam suas identidades, tentam passar despercebidos, e treinam, para que John se torne forte o suficiente para vingar seu povo.

"A melhor maneira de lidar com o medo é enfrentá-lo."
É em Paradise, Ohio, que as coisas começam a dar errado. É em Paradise que John conhece Sarah, uma garota bonita e popular, que adora fotografar, por quem ele se apaixona. E também é em Paradise que ele conhecem Sam, um nerd com obsessão por aliens que se torna seu primeiro amigo de verdade.
A vida de John em Paradise é mais legal do que já foi em qualquer lugar que ele esteve, e ele não quer mais ter que ir embora. Ele está cansado de fugir. Quem não estaria? Mas a vida dele e a de Henri dependem disso.

Sam é um fofo e muito inteligente, e é um dos meus personagens favoritos da história. Sarah é a personagem de quem menos gosto, o fato de John colocar sua vida em risco por ela me irrita, e confesso que torço para que o que há entre os dois seja apenas um romance passageiro entre dois adolescentes que deixe de existir nos próximos livros.
Essa foi uma fase do livro em que John se tornou um personagem extremamente irritante. Ele sabe que ele e Henri só continuam livres e vivos porque seguiram o plano de continuarem se mudando com frequência. Ainda assim, apesar de ter conhecimento dos riscos que ele e Henri correm ao permanecer ali por muito tempo, ele insiste em ficar, e age como um garoto mimado que não aceita um não como resposta. Sua empolgação com o novo amigo e seu primeiro amor o transformam em um personagem chato e imaturo.

Por algum motivo – provavelmente por causa do sentimento paternal que sente por John – Henry acaba cedendo: eles podem ficar por mais algum tempo. Tempo esse que é suficiente para que eles sejam localizados pelos mogadorianos e o caos tenha início.

Um, Dois e Três já estão mortos. John é o Número Quatro, e é o próximo.
"O preço de uma lembrança é a lembrança da dor que ela traz."
Eu Sou o Número Quatro é dos melhores livros que já li. Ele nos introduz de maneira espetacular à esse universo fantástico no qual extraterrestres super-poderosos muito parecidos conosco vivem na Terra. Todo o texto é muito bem escrito, e a narrativa é leve. Há uma riqueza de detalhes na descrição de cenários, personagens e interações, que leva o leitor a imaginar de forma detalhada cada cena. Toda a história sobre lorienos e mogadorianos é muito bem elaborada, e sua relação com os humanos e com a Terra é bem desenvolvida.
Apesar de eu já conhecer um pouco da história, foi uma leitura interessante e surpreendente – visto que há muitas diferenças entre a história do livro e a do filme.
Essa é uma das histórias (senão a história) sobre extraterrestres mais lógica sobre a qual já ouvi. Os Legados de Lorien me faz pensar que, se houvesse vida fora da Terra, essa com certeza poderia ser uma história real.

Esta é uma história cheia de ação, sobre alienígenas muito parecidos com nós humanos, pela qual os leitores de ficção-científica sem dúvidas irão se apaixonar.

Compre o livro aqui.


Me acompanhe nas redes sociais:

Sugestão de pauta ou parceria: maisumcapituloblog@gmail.com

33 comentários:

  1. Me lembro bem esse filme,assisti inúmeras vezes. Infelizmente nunca li o livro.

    ResponderExcluir
  2. Ual, um dos melhores que já leu, caramba. Bem legal conferir seu ponto de vista sobre, mas confesso que não me chama a atenção o gênero, nem o filme eu consegui completar, então acredito que a história não seja para mim. Mas obrigada mesmo assim.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme é bem "mal feito"... Na infância eu gostava por causa da história, mas a edição, efeitos, etc, não são bons. O livro é incrível, e tem algumas diferenças da história do filme... Mas se não gosta do gênero, acabaria sendo uma leitura forçada.

      Excluir
  3. Olá, tudo bem? Não lembro de ter assistido ao filme, mas já ouvi falar no livro. Pelo o que tu disse, parece ser uma leitura muito bacana e fantástica, já quero. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Me lembro bem das inúmeras vezes em que assisti à esse filme na sessão da tarde. Não sabia que haviam os livros, mas já quero fazer esta leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amava o filme, e ainda amo, apesar de hoje perceber que não foi um filme bem feito.

      Excluir
  5. Oi Laura.

    Eu conheço apenas o filme e até gosto dele, mas ainda não tive a chance de conhecer a versão literária como você. Mas ao ler sua resenha, eu fiquei com vontade, mesmo não tenho muito hábito de ler ficção científica. Vou arriscar a leitura, ainda mais sabendo que é uma história cheia de ação. Vou adicionar na lista de desejados. Obrigada pela dica.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje percebo que o filme não é bem feito, mas continuo a gostar dele por causa da história. O livro é incrível, a história difere em alguns detalhes que fazem toda a diferença. Espero que leia e ame tanto quanto eu. ♥

      Excluir
  6. Oi Laura,
    menina eu vi o filme no cinema acredita? sou velho a esse ponto kkkkk, mas essa série é uma das séries que em algum momento da minha vida eu pretendo ler, hoje em dia é basicamente impossível encontrar esse livros sempre eles estarem com preços exorbitantes, acho que o jeito vai ser ler ebook mesmo.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, que inveja! O filme não é muito bem feito, mas marcou minha infância, então eu o amo. Espero que tenha a oportunidade de lê-los, apesar de estar realmente difícil comprar.

      Excluir
  7. Olá, Laura!

    Eu já conhecia esse livro e o filme também, mas nunca li o livro ou assisti ao filme, estou atrasado (Heheheheh). Gostei da sua resenha, parece ser bem legal o livro e gosto muito de ficção científica. Vou anotar a sua dica!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história é incrível... Apesar de não ser um filme bem feito, eu o amo. E o livro, acho que nem preciso elogiar mais! Espero que tenha a oportunidade de ler. ♥

      Excluir
  8. Oie :)
    Lembro de ter assistido a esse filme ♥ Mas nunca li o livro ☻
    E eu gosto muito de distopia, ficção cientifica, mas eu simplesmente me esqueci desse livro. Foi uma grande lembrança .
    Obrigada pela resenha

    Bjocas

    http://www.livreando.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia o livro, é muito bom. E, diferente do que acontece com o filme, você poderá conhecer a continuação. ♥

      Excluir
  9. Já pensei em ler o livro, mas sempre mudava de ideia na última hora. No fim das contas, não sou fã de livros que falam de extraterrestres, então nem faço muita questão.
    bjos
    LUcy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não curto muito o tema extraterrestres, mas tudo é abordado de uma maneira muito diferente em Os Legados de Lorien, e foi isso que me chamou atenção. ♥

      Excluir
  10. Oi, eu vi o filme e gostei muito, desde então tenho vontade de ler os livros, ainda mais se o livro for ainda melhor que a adaptação como parece pela sua ótima resenha. A premissa e o enredo são super interessantes pelo seu post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é MUITO melhor que o filme. A história tem diferenças que são super importantes. Espero que tenha a oportunidade de ler. ♥

      Excluir
  11. Oi, tudo bem?
    Realmente, esse filme passa direto na Globo. Mas acredita que eu nunca vi? Já me indicaram algumas vezes, mas não sei por que eu sempre tive o pé atrás. Por causa disso, também não me interessei muito pelo livro. Mas sua resenha conseguiu me deixar curiosa, ainda mais por você ter falado que é um dos melhores livros que já leu. E que bom que o livro te surpreendeu, apesar de você ter assistido o filme antes. As adaptações mudam muitas coisas mesmo e o livro parece sempre ter mais profundidade né?
    Adorei sua resenha e vou considerar dar uma chance para o livro (e talvez até para o filme hehe).
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme não é muito bem feito, mas vale a pena porque a história é bem legal. Os livros (pelo menos até onde já li) são incríveis. Os livros são realmente mais profundos... Sempre trazendo algum detalhe importante, que as adaptações acabam deixando de lado.
      Espero que possa ler. ♥

      Excluir
  12. Lendo a sua resenha também fiquei com a sensação nostálgica de sessão da tarde, não vejo mais TV, mas tenho boas lembranças da década de 90 e 2000 com a sessão da tarde hehehehe não fazia ideia da existência do livro e apreciei bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bons tempos quando eu pegava o cobertor e me deitava em frente a TV!
      O livro é maravilhoso.

      Excluir
  13. Queria muito ler o livro pois sou muito fã do filme, só que como você mesma disse tenho medo de acabar com meu encanto sobre o filme, afinal todo livro é melhor que o filme

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas vale muito a pena ler... Até porque com os livros você poderá conhecer a continuação da história.

      Excluir
  14. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  15. Nunca tive o interesse de assistir a esse filme não sei pq

    ResponderExcluir
  16. Oi Laura, tudo bem?
    Eu nunca vi o filme, mas lembro de quando ele foi lançado e do fato de ser baseado em um livro, no caso, o primeiro de uma série que, creio eu, nunca teve sua publicação completa aqui. Ou me engano?
    Me parece ser mesmo uma excelente leitura, dados os detalhes que tu colocou no texto.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://www.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir