Curta!

Para Todos os Garotos que já Amei | Jenny Han

31 de março de 2020

Olá leitores, como vocês estão? Eu sei que andei bem sumida, e foi por pura falta de vergonha na cara (já que eu tinha posts prontos aqui), mas estou de volta e juro que é pra valer.
“Não preciso ter tanto medo de despedidas, porque elas não precisam ser para sempre.”
O post de hoje é sobre o livro Para Todos os Garotos que já Amei, sobre o qual muito se tem falado nos últimos tempos, graças à estreia do filme P.S.: Ainda Amo Você, baseado no livro dois dessa triologia escrita pela autora Jenny Han.

Lara Jean é uma adolescente que, após perder a mãe, vive com o pai e as duas irmãs. Em sua caixa de chapéu azul petróleo, que ganhou da mãe, a personagem guarda suas cartas de amor. Não cartas que ela recebeu, mas cartas que escreveu - sem a pretensão de enviar - para todos os garotos que amou. Nessas cartas, que totalizam cinco, Lara Jean abriu seu coração, escreveu coisas que jamais teria coragem de falar para ninguém. Quando as cartas são misteriosamente enviadas aos seus destinatários, a vida amorosa da protagonista foge completamente de seu controle.

Meus 5 crushs literários

24 de fevereiro de 2020

Olá leitoress. Como vocês estão? Hoje vim falar sobrem meus crushs literários. Acredito que, se você tem o hábito de ler, também deve ter ao menos um.


Jace Herondale (série Instrumentos Mortais):

Li a série Instrumentos Mortais, da autora Cassandra Clare, há alguns anos atrás (e pretendo reler esse ano) e desde então sou totalmente apaixonada pelo Jace. Ele é um personagem bem arrogante, e é assim por que tenta esconder que no fundo é tão vulnerável (tão humano) quanto todo mundo. Também é um personagem forte e corajoso, apaixonado pela "profissão". Algo que amo muito é sua relação com os irmãos.
Ah, preciso aproveitar o post para dizer que ele é bom demais para a Clary.
Por amar o Jace, acabei me apaixonando também pelo Dominic Sherwood (ator que o interpreta em Shadowhunters, que é esse da foto).

O homem dos meus livros - Evy Maciel

11 de fevereiro de 2020

Quem é que nunca leu um romance (ou vários haha) que fez com que desejasse que um homem como os homens dos seus livros aparecesse em sua vida? Acredito que toda apaixonada por romances já passou por isso, e Jules Clarckson não é diferente.

Sou alguém irreversivelmente apaixonada por livros hot, e por esse motivo foi um prazer enorme começar 2020 tendo a Evy Maciel como minha parceira. O livro escolhido para dar início à essa parceria foi O homem dos meus livros, que é o primeiro da série Homens que Amamos, e é sobre ele que vou falar nesse post.

O Homem dos meus livros conta a história de Jules Clarckson, uma mulher forte e que, apesar de ter pais com uma boa condição financeira, luta pelo que quer. É uma personagem com quem me identifiquei muito (e acho na qual acredito que toda leitora de romances irá se ver um pouquinho também). Afinal, qual de vocês nunca desejou poder encontrar um homem que te amasse tanto, assim como acontece nos livros? Jules é sonhadora, tem uma alegria contagiante e bom senso de humor. Ela tem o hábito de falar o que vêm à cabeça, e é uma personagem (implicitamente) feminista... Mas ela tem um problema: prefere fugir de certas situações do que encará-las e "dar a cara à tapa".

15 filmes baseados em livros que foram indicados ao Oscar

4 de fevereiro de 2020

Essa é uma época do ano na qual muito se fala sobre o Oscar, cerimônia que será realizada para premiar os melhores atores, técnicos e filmes de 2019. Esta será a 92ª edição, e acontecerá no dia 9 de fevereiro de 2020. E nesse clima de agitação gerado pela ansiosidade a respeito da entrega dos Academy Awards (os Oscars 2020), resolvi trazer um post citando alguns filmes indicados ao Oscar que foram baseados em livros e que acredito que (já que foram indicados ao prêmio) vale à pena assistir.

100 Canções para Salvar sua Vida – Camila Dornas

31 de janeiro de 2020

"A música é a única linguagem pela qual as almas realmente se comunicam."
Li sobre o livro 100 Canções para Salvar sua Vida pela primeira vez no Instagram da minha parceira Jéssica Sousa (conheça-o clicando aqui). Era um post de quotes, e logo que eu o li me interessei em saber mais sobre o livro. Assim, pesquisei sobre ele, li a sinopse e algumas resenhas, e decidi baixá-lo no meu Kindle. Imaginem a minha surpresa quando, pouco tempo depois, dona Camila Dornas me aceita como sua parceira. Eu, que já estava bem animada com a ideia de fazer essa leitura, até decidi adiantá-la no meu cronograma (é por isso que eu odeio fazer TBRs, sempre aparece um bendito livro que eu quero adiantar haha).

Alicia e suas melhores amigas criaram uma tradição: colocar cartas – para elas mesmas e umas para as outras – em uma caixa e enterrá-la, como fazem com as capsulas do tempo que tanto vemos nos filmes. Assim, elas combinaram que em todos os anos, na véspera de ano novo, iriam até aquele lugar para pegar as cartas antigas e deixar cartas novas.